Friday, June 24, 2005

Mais 9-Canções-9 para a Mariana

1

SABES, VOU DEIXAR-ME

Olha, sabes, vou deixar-me,
Deixar-me de canções
Olha, o sinal de alarme,
Até p’lo teu charme,
Queima palha de colchões.

Olha, sabes, vou deixar-me,
Deitar-me comigo sozinho
Ao mar, a Marte, amar-te
Com uma pouca de vinho.

Se disseres que me queres,
Talvez me deixe
De mulheres.

Sabes, mel melhor, mal menor,
Vou deixar-te
Deixar-te estas canções.

Até para deixar
É preciso
Ter arte.

2

SE SOUBESSES QUANTO CUSTA

Se soubesses quanto custa amar
Obedecias.
Dias a fio de navalha, se soubesses.
Quanto custa a quem não tem,
Meu bem, outro remédio.
Só de pensar nisso.
Se soubesses no quarto cresce-míngua,
Lua ante.
Língua minha.
Adiante.

3

QUANTO QUERO

Quanto quero a quem quero
Nem metade posso dar
Por isso nem dou nem espero
Nem quero isso lembrar

Que a memória do já dado
Não dá para dadivar
É bem fraco rebuçado
Bem amargo de chupar

Quanto gosto de quem gosto
Nem meio dá p’ra contar
É parede de desgosto
Que já não quero caiar

Que a cal do já caiado
Não dá para mais caiar
É bem fraco pincelado
O desgosto de pintar

(Quanto quero a quem quero, etc.)

4

DO AMOR EU NÃO

Do amor eu não conheço
Senão a mesma cegueira
Que não vejo e não esqueço
Falo do que tenho à beira
Litoral da baixa alta
Sobrevém e sobressalta
Como o vento amor exalta
Fuma o mar a terra inteira

Do amor eu não sei mais
Menos dele não conheci
Que já houve o dos meus pais
E outro que tive por ti
No relapso manso agreste
O que deste bem tiraste
Amor é coisa que preste?
Conheceste? Deserdaste.

5

DE VINHO RUBRO

Dá-me o fruto dessa boca
Palavrosa imaginada
Rosa turva encarnada
Dá-me o fruto da voz rouca

Oh Maria tu bem sabes
Mais que tentas esquecer
Botelha de vinho rubro
Que Outubro faz doer

Vindimei gengiva acima
A dente cortei palavra
Quem não lavra pois não estima
A boca é lima amarga

Faz tu vinho de ananás
Do teu cuspo coração
Granada soez capaz
Da maior rebentação

Mar em volta da cintura
Quando for pelo Natal
Terei dito à procura
Que perder está menos mal

Oh senhora do encanto
Nem por fax reciclado
Terei eu perdido tanto
Olhar preto desmaiado

Dá-me a boca desse fruto
Oh imagem palavrosa
Ananás o mais enxuto
Turva encarnada rosa.

6

JÁ ME DESCEU

Oh menina uma palavra

(Diga diga meu senhor
Que o traz a esta casa
Tão revestido de dor)

Oh menina uma janela

(Abra abra meu senhor
A manhã já vai tão bela
Faz da luz santa de andor)

Oh menina uma palavra

(Peça peça meu senhor
Se a boca arder que arda
Não seja pelo ardor)

Oh menina uma janela

(Feche feche meu senhor
Que o patrão já vai subir
Vai-nos cobrar o amor)

A palavra à janela
Que a minha menina deu
É bem a santa mais bela
Que do céu já me desceu.

7

ROBERTOS

E venha lá quem vier
Que o teatro já fechou
Pancada de Molière
Só na tem quem n’apanhou

Já vi dramas do caraças
Assisti bem me calei
Em falando de desgraças
Oh caraças disso sei

Começou em pequenino
Minha desgraça maior
Um destino desatino
Sangue pranto e suor

Na plateia ninguém mexe
Nem remexe o balcão
Quanto mais sobe se desce
Furagato furacão

E o tornado entornado
É truque de mau cinema
Fica o verso bem rimado
Ritmado dá poema

Meu amigo Gil Vicente
Ourives ou sim ou não
Faz lá tu rir esta gente
Que é de pobre condição

(Não ligues a televisão!)

Meu amigo Shakespeare
Oh que nome do caraças
Em falando de desgraças
Desata o povo a rir

Que o teatro tem bem disso
Ouriço peida cacheiro
Sou por isso o ouriço
Sou actor vou em primeiro

(E venha lá quem vier, etc.)

8

POR PURA PÚRPURA

Por pura púrpura tomei
Um sinal de bem-olhado
Era em torno campo molhado
Espécie vento desaguado
Li lilás trono de rei

Ri de roxo pantanoso
Puro gozo sapo antigo
Coaxando coxeando
Puro gozo meu amigo

Por pura purifiquei
Bem olhada eu nem sei
Tão amada purpurina
Eu sei lá era menina
Que olhei quando passei

Eram em volta ilha agreste
Vinha vento vento ia
Quanto mais ao mar se dava
Mais à terra se volvia

Coração de ilha pouca
É ter por norte o céu
Voz de mar oh voz mais rouca
O mar é só a terra ao léu

Meu trono de bispo-rei
Real sono episcopal
À igreja a levarei
Purpurina por sinal

(Um sinal de bem-olhado...)

9

TANGO PARA FRANCÊS VER

Je ne Zé pá
Export-import é a rosa
Diz-se francé ou françuá?
Isso je ne Zé pá
Export-import é a rosa


De pifos Piaff sei eu
Era bem mais nova do que eu
Pio XII treze ou mais
Dizem que em Sete Rios
Entre pandas e renaults clios
Bem sofrem os animais
(ou menos)

A exemplo de Gauguin
Jacques Brel até amanhã
Nas cancer’ilhas do Taiti
Ilha é floco de neve
Morena que bem se atreve
A ser longe sendo daqui.


21, 26 e 29 de Julho de 2004, algures

No comments: