Wednesday, September 19, 2018

Um soneto de segunda-feira, 26 de Julho de 2010






Nem tudo o que vem do coração está certo,
nem tudo errado é quão coração parece.
Ele há coisas que a razão reconhece,
mais longe são umas & outras mais perto.

A gente assim faz: vive. Passam as viaturas,
derredor há sol que esbraseia peles.
Queima-as à boa gente & a outra mais reles,
mas todas de Deus são as criaturas.

O mais que não digo, vem só da verdade,
que ela é ser a mesma vontade
de menos ser que viver, está certo, está certo.

Nem tudo é erro, nem a razão conhece
o que o coração quer e apetece:
está perto, é longe; está longe, é perto.