Saturday, October 20, 2018

Quatro poemas de BASHÔ traduzidos por JORGE DE SENA



BASHÔ (Japão, 1644-1694)





“Amigos, adeus:
tal como os gansos selvagens
perdidos nas nuvens.”



“Um branco narciso
e um branco biombo se reflectem
na sala quieta.”



“Bendito este vale
onde o vento suave cheira
vagamente a neve.”



“Recordação de Edo:
este vento frio e fresco
que guardo no leque.”