Thursday, July 14, 2005

Tom de Festa



Composição:
Tondela, interior descomplexado de Portugal, música viva e ao vivo, gente-
feliz-sem-lágrimas, luz-cor-alegria (como nos bailes de antigamente,
que bem falta continuam a fazer hoje), livros, vinhos, petiscos e afins, ar
livre, línguas estrangeiras, palavra e autores, pessoas com aspecto diferente
do consagrado no Diário da República e outras que nem por isso,
tambores, violas estranhas, pífaros, solidariedades, trombetas, pacotes
de açúcar, jogos onde o azar não conta, celibatários, dança, meninas em
idade casadoira, crianças sob rigorosa vigilância e outras nem tanto, ácido
cítrico, água purificada, sorrisos sem mentol, gás (a todo o), alumínios
& magnésios, teatro, instrumentistas loiros e culturas de muitas raças,
cores e identidades, melodias de largo espectro de acção fungicida e
demais correlativos.
Forma cultural:
Festival. Síntese de festa + Carnaval, que a vida são dois dias, o Carnaval
três e o TOM DE FESTA / FESTIVAL DE MÚSICAS DO MUNDO, 4.
Programação generalista não despicienda de tradições e contradições.
Bailações espontâneas possíveis entre a assistência. Previstos compassos
binários, ternários, em C cortado e outros ritmos insolfejáveis mas
desejáveis.
Detentor da autorização de introdução no mercado:
ACERT - Associação Cultural e Recreativa de Tondela
Rua Dr. Ricardo Mota
3460-613 TONDELA
PORTUGAL
& todos quantos a ela se juntam para tomar este antídoto contra o
mal-estar, o mau-olhado, a urticária, o mal-de-viver, o quebranto, a falta
de auto-estima, a gonorreia, o parlamento-de-bruxelas e a política agrícola
comum.
Indicações:
TOM DE FESTA / FESTIVAL DE MÚSICAS DO MUNDO é especialmente
indicado para casos de prolongada rotinite, stressalgia, mesmacoisice,
neuroquotidiania, fibroamargurismos, hipossensibilidade, adições consumistas
e uso excessivo de TVrasca.
Contra-indicações:
TOM DE FESTA / FESTIVAL DE MÚSICAS DO MUNDO não deve ser administrado
em impacientes portadores de manifesta e confessa surdez
mental, cassetes piratas e outras alergias derivadas da lã do camelo e/ou
fibra de vidro amarelo. A sintomatologia localizada no bater de palmas
mecânico, género sem-pensar (tipo ‘Natal dos Hospitais’) pode ser contraproducente.
Geralmente, é.
Efeitos secundários:
Nas experiências havidas com este produto nas anteriores tomas, não
foram detectados sinais deformativos da consciência, da visão, audição,
olfacto, gosto e (principalmente) tacto. Existem mesmo sinais de anteriores
utilizadores que, anualmente e chegados de vários pontos do globo,
recorrem à aplicação deste genérico de olhos fechados sem ficar minimamente
arrependidos.
Interacções:
Interacções é exactamente o que se deseja. Uma festa não é unilateral,
pelo que se prescreve, entre balcões e plateias, um toma-lá-dá-cá constante.
Os testes efectuados nas 14 anteriores do TOM DE FESTA / FESTIVAL
DE MÚSICAS DO MUNDO deram sempre poema, nunca eczema. O
que não é nada, mas sossega.
Precauções especiais de utilização:
Na posologia recomendada (uma noite de cada vez, muitas horas cada
noite), não estamos a ver particulares precauções especiais. Em caso de
sobreposição de horários, escolher a(o) legítima(o) esposa(o). Sempre dá
um ar de família.
Advertências:
Ver Precauções especiais de utilização. Adverte-se que foram já detectadas
paixões e casamentos com origem na toma deste produto, não
havendo reclamações a registar pelo efeito colateral causado entre os
tomadores deste genérico.
Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas:
É como diz o povo nos azulejos dos estabelecimentos:
O cliente beba à vontade.
Se ficar com o grão na asa,
Nós guardamos segredo
E vamos levá-lo a casa.
Apela-se contudo a que os utilizadores não usem tractores, retroescavadoras
ou empilhadoras nas suas deslocações, ainda que seja compreensível
o seu desejo de armazenamento cultural do programa para consumo
fora de estação.
Crianças:
É trazê-las. O bom-gosto é de pepino, como o pequenino.
Posologia e modo de usar:
Cada um é que sabe, mas, como o futuro morreu de velho, uma vez por
ano nunca fez mal a ninguém. Genérico com elementos de culturodependência
activos com efeitos saudáveis no cérebro e na forma de olhar a
vida.
Dose excessiva ou intoxicação:
Disso já tem o suficiente na sua vidinha. Não queremos entrar na concorrência
para perdermos.
Avisos:
O preço dos bilhetes ajuda a combater o défice. Sobretudo o nosso. Genérico
cultural infelizmente não deduzível no IRS, mas na má disposição
causada por ter de o pagar.
Apresentação:
Desde que venha limpinho/a, ninguém vai reparar no botão que falta ou
no laçarote despropositado. Venha trajado com o melhor fato de boa disposição
que tiver à mão.
TOM DE FESTA / FESTIVAL DE MÚSICAS DO MUNDO
ACERT, TONDELA, 20-23 JULHO 2005
4 tomas - 12 doses
Genérico Cultural
Dia 20 de Julho
21h.
TRIGO LIMPO TEATRO
ACERT (Portugal)
“Bicicleta de Recados”
Um texto de textos, três
actores, tantas vozes numa
estreia de abertura com a
‘marca da casa’
À palavra poética é dado o protagonismo
teatral. Uma “costura”,
por três actores, de grandes
textos de grandes poetas que
demonstra sem concessões fáceis
a virtualidade musical da(s)
Palavra(s).
22h.
CEDECE Cia de Dança
Contemporânea (Portugal)
“Dominga”
Agustina dançada num
espectáculo de coreografias
visualmente encantadoras
Criado a partir do texto homónimo
de Agustina Bessa-Luís, eis
um espectáculo que enaltece o
sortilégio da dança enquanto arte
de excelência para a sublimação
da música.
23h.
GERALDO AZEVEDO (Brasil)
“Voz e Violão”
Abertura de luxo com um
nome de eleição da música
popular brasileira
Geraldo Azevedo é sinónimo de
uma verdadeira tapeçaria de in-
fluências entrecruzadas. Guitarrista
de grande talento, cria nas
suas canções uma mistura única
entre as harmonias sofisticadas
da Bossa-Nova e os ritmos vivos
e pulsantes da música negra e
nordestina.
O alto nível do seu trabalho e o
seu carisma em palco conquistaram
uma popularidade que não
pára de crescer junto do público
de todo o Brasil e de muito mundo
mais. Desde 1972, Geraldo
Azevedo já gravou mais de duas
dezenas de trabalhos discográfi-
cos, apresentando-se em palcos
de todo o Mundo.
Dia 21 de Julho
22h.
POLVOROSA (Chile e Alemanha)
Um concerto para enamorar
de novidade os “fiéis” da
música de fusão
Um dos projectos mais surpreendentes
da música de fusão europeia
da actualidade, numa manifestação
criativa que percorre a
música pop e electrónica, o rock
alternativo e o latin groove.
Um concerto com cheirinho a
Manu Chao…
23h.
BOSS AC (Portugal)
Uma explosão de rap e
poesia urbana num concerto
imperdível
Um verdadeiro “happening”, capaz
de congregar os mais fervorosos
adeptos do rap, par a par
com os mais sensíveis à música
pop da actualidade.
Um espectáculo de poesia urbana,
cantada, dita, cuspida com raiva,
a entrega e a tenacidade daquele
que é um dos nomes grandes
do rap português. No palco, um
artista polivalente e multifacetado
a dar largas a todo o seu virtuosismo
na apresentação do seu mais
recente trabalho discográfico,
“Ritmo, Amor e Palavras”.
0,30h.
NEW SKETCH (Portugal)
Um projecto musical de jovens
músicos de Tondela: poder
local
Uma banda irreverente de jovens
músicos de Tondela, cujo único
compromisso é transmitir sinais
inconformistas perante a desumanidade
social que nos cerca.
Um tributo deste Festival a quem,
com modéstia e genica, encontra
na música um percurso de liberdade
imaginativa e interveniente.
Dia 22 de Julho
22h.
MOLA DUDLE (Portugal)
“Lâmpada”
Viagem à música dos anos 50,
pelo vídeo e pela exploração
de ilusão de duas dimensões
do pré-cinema
A música, tal como o espectáculo,
é extraída do disco “O Futuro
só se diz em Particular”, produzido
por Mário Barreiros e com a
participação de Armando Teixeira
(Balla e Bullet) e Manuela Azevedo
(Clã). Para contemplar a novidade…
23h.
URBAN TRAD (Bélgica)
Música global num universo
de beleza da vanguarda folk
a impor-se às audiências dos
palcos do Mundo
O projecto é criar nova música de
raiz folk impregnada dos novos
sons contemporâneos (dance,
electrónica etc) com o objectivo
de chegar a um público mais numeroso.
Um novo som carregado
de personalidade que se vem
afirmando nos principais festivais
folk de todo o Mundo com um
número de vendas discográficas
assinalável.
0,30h.
ANGELINA AKPOVO
& YAKUWUMBU (Benim)
A energia das percussões e da
dança africanas para celebrar
uma voz do Benim
Uma linguagem musical rica pela
fusão pertinente da tradição e da
cultura africanas com a cultura
do mundo: um diálogo pleno de
energia e brilho.
Dia 23 de Julho
22h.
RICHARD GALLIANO (França)
“New York Trio” com Larry
Grenadier e Clarence Penn (EUA)
Um dos maiores acordeonistas
de sempre num concerto
único com dois “monstros” da
música de hoje
Compositor e acordeonista, “Richard
Galliano mudou a história
do acordeão: hoje, podemos falar
de um ‘ante’ e um ‘pós’ Galliano”,
como disse Yasuhiro Kobayashi,
o acordeonista japonês que
acompanha Björk.
Convidado especial de Astor Piazzolla
desde 1983. Têm-lhe sido
atribuídos prémios pela critica
de todo o Mundo, tocando com
alguns dos grandes nomes de
distintos estilos musicais.
Com ele, nesta digressão mundial,
dois colossais instrumentistas:
Larry Grenadier (baixista de
Pat Metheny - Trio Live) e Clarence
Penn (um dos mais requisitados
bateristas da actualidade da
sua geração).
23h
KELVIS OCHOA (Cuba)
A música cubana tradicional
recriada num estilo pop
por um intérprete que vem
conquistando públicos pela
renovação das melodias e
força interpretativa
O mais característico de Kelvis é
a sua forma de projectar a canção
tradicional de Cuba, fazendo-
a conviver com todas as influências
de rock e pop.
Trata-se de um fenómeno musical
que se vem afirmando pela
envolvente das melodias, com
textos apaixonantes e divertidos.
Surpreendente…
0,30h.
ALEX IKOT (Guiné Equatorial)
Som africano carregado de
genuinidade a encerrar o
Festival
Um longo e rico percurso musical
com distintas formações amadureceu
este seu projecto. Neste
concerto, apresenta-se com uma
banda que seduzirá pelo domínio
das melodias e ritmos dos diferentes
países e regiões de África.
e mais…
Da Palavra às Artes: Exposições, intervenções teatrais e animações
Os Escritores, a Palavra e O Livro
Feira do Livro
Artes Plásticas: “Bô Neco” - Desenhos e Pinturas de Luís Calheiros
Projectos Solidários
Sabores do Dão

No comments: