Thursday, July 14, 2005

Notas para o Desenhador

Daniel dos Santos Abrunheiro (1917-1994)


Olhos bons para lápis macio: brilho, humidade, humildade e humanidade: sombrear estes a gás com delicadeza.
A camisa tigrada não é total ilusão: por dentro, o tigre era. Mas o coração, de cordeiro.
Ombros de força. Para a memória, deixe-se desenhado o carácter fluvial dos braços, que terminavam em mãos delicadas, húmidas, humildes e humanistas.
A boca carnuda, onde ressoava uma voz de solfejo.
E o cabelo perpétuo, que nenhum vento arrancou.
No mais, tristeza.





Tondela, 14 de Julho de 2005, meio-dia

1 comment:

Anonymous said...

Este SENHOR eu tive o prazer de conhecer.