Monday, October 16, 2006

À Varanda Fumo a Lua (canção astrortícola)

Ond’é que eu fui feliz
por quem por causa de quê
muito conta quem não diz
muito conta quem não lê
É feliz quem esquece tudo
quanto não lembr’ao Diabo
o calado faz-se surdo
o surdo faz-se de nabo.

Tenho a têv’estragada
não sintonizo o canal
minha vid’avariada
vezes bem e outras mal
À varanda fumo a Lua
que eu pedi o lume ao Sol
na mortalha dorme nua
minha víscer’a mais mole

Minha qu’rida coisa linda
dá-m’o seio a sugar
amant’é a mãe ainda
mais o pai a vigiar
A gent’é pobre pobrezinha
arrecad’ò our’amor
na lata lá da cozinha
mesmo q’apanhe bolor

Ai ond’é que eu fui feliz
não alembra ò Diabo
meu coração faz-se surdo
faz-se surdo e faz-se nabo.




Viagem Caramulo-Seia, tarde de 11 de Outubro de 2006

No comments: