Monday, October 16, 2006

Pré-Sono

Guarda-s’o corpo em cobertores
fiando-s’em finlândias talvez
adormecendo vêm estertores
alba do dia mais o fim do mês

Não existindo mel de derrame
nem para tal havend’abelhas
quem amor tiver pois que bem no ame
abaix’a boca acim’as orelhas

Rest’é licor propiciatório
do empurrão liquefactor
há quem no dig’orgasmatório
e há ‘té quem lhe cham’amor

Guarda-s’a alma em mantas enxutas
peludas rugosas dobradas na cama
amor não se deita só com quem no ama:
só na minha rua moram trinta putas.



Caramulo, noite de 9 de Outubro de 2006
(excepto última quadra: Caramulo, tarde de 15 de Outubro de 2006)

No comments: