Sunday, August 23, 2009

UM POUCO ANTES DE AMANHÃ (35)


35.

Souto, Casa, tarde de 21 de Agosto de 2009

Este mundo funde-me Laurie Anderson e Antero de Quental, e incêndios de açúcar controlados sob o adstringente nome de dióspiros, frutos de Zeus, e as portas e as janelas da percepção exercida pelos gatos quanto à realidade líquida, e o comboio que leva saudades para Hendaye, Azeitão & Setúbal, Nine & Braga, Bonnie & Clyde, fazendo-se medusa a mão em água-de-sabão, estas ramagens verbais no lugar da cabeça alquilado pelo coração.

Se calhar, o desprezo mudo é um ingrediente precioso e fundamental da receita da felicidade.

(Pens’enti isto agora, deixo-o escrito.)

2 comments:

JPC said...

Se te sentes mais feliz quando desprezas em silêncio, então não é se calhar.

daniel.abrunheiro@gmail.com said...

Pois, tem lógica lo que dices.