Sunday, August 02, 2009

A Mesma de Sempre Comoção ante as Louças ou De l. m. a. t. chose

© Dorothea Lange

Migratory Cotton Picker (1940)





Súmula de palavras de Abril, Julho e Agosto de 2009

para o Henrique Costa e para o João Mário Gonçalves



De la musique avant toute chose

Verlaine

I

O Filho do Homem

O filho do homem tem de evitar ser vidro.

O tempo é areia, que pedra foi e será.

Portanto o homem deve ser pedra e cor na pedra.

E deve portanto transmitir isso ao filho.

O pai do homem também se engana.

Não é por mal, acontece.

II

Marcações Vocabulares para Inscrição em Colégio Jesuíta

– ou coisa parecida

Languedoc e Westminster fazem parte do rol de palavras para a vida útil, tal como Deus e Outras.

Elas trotam como cavalos em azinhagas térreas, quebrado um sol de papel pelas coruscantes áleas da visão de dentro.

(Digo eu que trotam, pode ser que possam ser ditas de outra forma, na hora e nos dias.)

Por enquanto é dia, noite virá com outros vocábulos de utilidade.

Armas de carregar pela boca como palavras ensombram encruzilhadas de Oitocentos.

Massacres ingleses na Índia de Dezanove, atmosferas pejadas de virgens pagas ao quilómetro em pavilhões de caça, em solares abandonados à nascença, em tardes de regata e hockey club.

Ticiano e almorávidas, alvores de litoral algarvio e Jack Dempsey, o Bronx e relatos enegrecidos de fumo em tugúrios da Beira Alta de Portugal.

Esplendor sexual do folclore católico, peregrinações da classe-abaixo-de-média às galerias hipercomerciais do Vinte-e-Um.

MacMillan e Sara Bay, Doolittle e o Purgatório, o mecenas de Ludwig e o botulismo, a I República e os piolhos.

Nisto, entrada de cromos de safari na caderneta cinegética.

Revisão de António Nobre rumo à França após segunda reprovação em Coimbra.

As pernas altas de Raul Brandão Chiado a baixo em voada tarde enevoada.

Subsídios de História do Município Coimbrão para uma Visão Minuciosa da Palermice Nacional.

Um catálogo de filatelia com violetas prensadas entrepáginas 180-81.

As barrigas das pernas das lavadeiras à lixívia fluvial reparadas pelos meninos nadadores.

A Roménia como nós.

Publicação em alexandrinos dos nomes em solteiras de todas quantos traem os maridos.

A violência doméstica do ponto de vista masculino a partir de Celorico da Beira.

(Digo estas coisas enquanto o cedro do meu pátio dança um pouco na brisa: como alguém invisível dentro do meu cedro, na hora a que pertenço enquanto inscrevo leitores em um colégio jesuíta.)

Lord Edgware e Santa Rita de Olhos Vazados, mais a histeria das mulheres da Nazaré à chegada do autocarro com turistas-dólares.

A voz do senhor da televisão pergunta-se-nos se o pequeno tumor cerebral (um glioblastoma, não um mero astrocitoma incipiente) descoberto na autópsia de Charles Whitman pode ter contribuído para o bródio mortífero de 1 de Agosto de 1966 em Austin, Texas.

Ou, Charles também, Starkweather e sua Caril Ann Fugate (como será viver em Lansing, Michigan, menina?) cantados por Springsteen, B., em Nebraska.

Tudo isto conta: tudo isto canta.

III

A um Tempo Vivo

A um tempo vivo dirijo quanto tenho e me tem,

o soro das frases jusantes, a uniforme atenção,

a mesma de sempre comoção ante as louças,

os brinquedos que as crianças abandonaram crescendo.

Hoje é de não tão a sério este levar-se nas horas, nos dias.

Tenho um, dois amigos muito doentes.

Sábados fora do Tempo são os deles dentro deles.

É assim que vejo as coisas, mais do que isto não sei.

IV

O que Sei

Sei o preço da consciência, o do sal e o da chuva.

Temos os três algum tempo, já não é sábado.

No comments: