Sunday, January 18, 2009

Nenhum Há-de Escapar

Pombal e Charneca, noite de 16 e madrugada de 17 de Janeiro de 2009





Habitam os espelhos como os animais, os campos.
Dominam o olhar como as águias, as montanhas.
Fluem a atenção como os barcos, os mares.

Os mortos.

Temem os espelhos como os infelizes, os rios.
Cegam a boca como as mães, os filhos.
Exilam o corpo como as montanhas, as águias.

Os vivos.

No comments: