Wednesday, January 07, 2009

Mulher depois de Rosa

Pombal, noite de 6 de Janeiro de 2009



Uma canção para a Mariana, claro



Matou-me a vida já algumas rosas.
Cravos me devastou sem pedir antes.
Nada m’é já agora o qu’era dantes.
Matou-me a vida já algumas rosas.

Do mar eu sei tão-só que são distantes
as ondas e as gaivotas escritoras
dos versos mais voados, mais amantes,
amados mais que rosas voadoras.

Guarda-me rios, vida matadora,
deixa que um choupo chore sem chorar.
Outrora fui menina, ora senhora,
algumas rosas sei também matar.

Não creio já em quem me não trouxer
recado da baía da agonia.
Eu já vi muita noite em um só dia:
ontem fui rosa, ora sou mulher.

Matou-me a vida já algumas rosas.
Cravos me devastou sem pedir antes.
Nada m’é já agora o qu’era dantes.
Matou-me a vida já algumas rosas.

4 comments:

Rui said...

é... é....Tu só gostas dela agora mazé porquela shtá nos madredeus que bem sei. aproveitador dum camandro. Já te estás a ver como a irmã do cristiano ronaldo. cala-te mazé.

Manuel da Mata said...

"Aproveitador dum camandro". Queres é um bilhete para o próximo espectáculo.
Mas que a canção tem pinta, lá isso tem.

daniel.abrunheiro@gmail.com said...

Não se já vos tinha dito, Manel e Rui, que EU é que sou o TIO da Mariana Abrunheiro.

LM,paris said...

Bonjour,
il fait si froid que j'ai les babines coincées!!!
Que linda cançao, também gostava de ter uma, com rosas...jà sabes como sao as gurinas,
ai, ai, e eu a julgar que era crescida!!!
Claro que aproveitas, vai jà um album daniel, e nao te esqueças do Léo, que sabia disso a potes...poètes, vos papiers!!!
bjos todos gelinhos...ai, ai, um sorvete de baunilha com morango...brrrrrrr!!!!!!
lili la pescadinha congelada!