Friday, August 06, 2010

IDEÁRIO DE COIMBRA - podografias de retorno – 14 - fragmento 6


LOUVAÇÕES


Louvo
o virginal cai-cai da empregadinha
que se veste cedo e despe à tardinha.
Louvo
a hérnia discal do senhor Tavares
que arrasta a reforma por mil e um bares.
Louvo
do cru militar a dura corneta
e da camarata a manceba punheta.
Louvo
do primo-ministro a seriedade
e o primo de Abril e a hilaridade.
Louvo
a imagem do rio mesmo a contratempo
e a vida ser morte em antemomento.
Louvo
a comiseração freirinha à direita
e o padre Melícias sempre sempr’ à espreita.
Louvo
o pateta alegre e a alegre viúva
e as tardes de sol e as noites de chuva.
Louvo
do ovo a clara albumina que gema
ao nascer do pinto e ao do poema.

1 comment:

masquediabo said...

A ler isto lembrei-me de
9th Hennepin
Tom Waits