quinta-feira, junho 09, 2011

Rosário Breve n.º 210 - O RIBATEJO - 9 de Junho de 2011 - in www.oribatejo.pt


Pepinada

Depois das vacas loucas, das galinhas com nitrofurano na corneta e dos porcos engripados, eis-nos perante mais uma comédia irresponsável: a dos pepinos espanhóis que afinal são rebentos de soja alemães.
O cagaço colectivo no seio desse po(l)vo estranho que dá pelo nome de “União Europeia” dá-se às mil maravilhas no húmus do obscurantismo. O consumidor médio, desinformado, susceptível e vulnerável, ingressa logo na pepinada e embarca sem pensar na histeria euromentirosa.
Tenho algumas coisas a dizer sobre isto. Uma: vacas loucas, sempre as houve – basta ir a uma casa-de-alterne. Outra: galinhas estúpidas também – basta verificar o número de abstencionistas nas passadas eleições legislativas. Estoutra: porcos ranhosos é redundância – basta apreciar os barões e os tubarões dos famigerados “mercados” financeiros internacionais.
Agora, quem não tem culpa é o desgraçado do produtor do fálico pepino e do testicular tomate. A irresponsabilidade dos arautos da bactéria atinge foros de criminalidade. Sensacionalismos deste calibre podem servir para aumentar a publicidade no intervalo dos telejornais, mas a mim não me convencem nem um bocadinho.
Eu sei por que motivo esta historieta pepineira veio ao de cima: é porque o futebol está de férias. Como é preciso manter-nos bovinizados, nada como uma manhosa conspiração multi-sanitária à escala teutónica.
Quando é que chega o dia em que os vulgares produtores e os ordinários consumidores deixarão de ser encarados como cifras FMÍsticas ou como larvas acéfalas tão facilmente esmagáveis pelo Banco Central Europeu?
Quando é que voltamos a ser pessoas? Não somos fungos. Não somos nódoas. Não somos caracóis. Não somos fardos de palha. Somos os que vieram depois das duas guerras mundiais. Somos os tolinhos da “democracia”. E seremos nada enquanto não quisermos ser tudo.
É por isso que sei muito bem, mas não digo, em que sítio do corpo é que lhes mandava meter o pepino.

4 comentários:

LM,paris disse...

O pà daniel, pra jà estàs lindo de Pato e fôfo de cao...uma joia de rapaz!
O pipino é o culpado de tudo!
A soja bem esticadinha ainda leva alguma culpa também....lavem bem tudo, os legumes, as maos, os tostoes...os meus passaram à historia, estes cents de euros nao têm graça nenhuma e nao dà jeito comprar rebuçados prà tosse com eles...prontos, os votos, aie mae, o povo unido...e tao distraido...tamém tà deprimido!
Tudo rima com PIPINO, a tua cronica tà do baril...
nao tens nenhuam com sobre DSKàKà????
Not Guilty , foi tudo o que ele disse.
Bjos e nao comam as flores.
LM

Daniel Abrunheiro disse...

"Não comam as flores" está no ponto, L.

Jorge Castro (OrCa) disse...

Por outro lado (salvo seja...!), não deixa de ser irónico que se esteja a promover o medo - aquela coisa que já o O'Neil dizia que havia de nos fazer chegar a ratos - através de símbolos viris tão óbvios como o pepino e os tomates.

Sinal evidente de que esta gentinha já perdeu as estribeiras, tendo entrado no reino do vale-tudo, até tirar olhos...

Claro que, aqui, um esclarecido analista poderia discorrer acerca da janela de oportunidades que se abrirá quando todos estivermos ceguinhos mentais, pois então cessará a necessidade violenta de tirar os olhos a quem quer que seja...

Bela crónica, para não variar!. Abraço.

Daniel Abrunheiro disse...

Abraço, amigo Jorge. Grato.