Wednesday, November 12, 2008

O CORPO É A COISA QUE MAIS ACONTECE À PESSOA

Foto: © Sandra Bernardo, Redinha, 12 de Novembro de 2008




Em casa, Souto, noites de 11 e 12 de Novembro de 2008




Este corpo que traz frio o tempo e o tempo
dos anos.
Este cabide de si mesmo.

Aqui moramos os muitos anos de nossas poucas vidas.

Aqui as rosas, ali o alguidar de degolar a galinha,
ali onde a menina se cortou num pé, àquela janela
a mãe do pai dizendo adeus com a mão parada,
estrela mais de vidro que a mesma janela.

Este corpo que o artesão tocou no tempo, onde ele
ardia a branca louça do corpo.

As rendas guardadas em casa, a humidade
dos ratos adormecendo-as e às festas que foram
rendadas de elas.

A venusta parcimónia de seu sólio.

O profundo país que cada um de nós se torna.
E esta pátria de ninguém: este corpo só
de si mesmo.