Friday, September 05, 2008

Telemóvel e crónica

Meus queridos e mui queridas amigas: estragou-se-me o telemóvel, pelo que tempos e águas correrão sob as pontes até que novo número me seja possível. Continuo, porém, disponível (e atento) em daniel.abrunheiro@gmail.com. Em jeito de compensação pelo vago incómodo, deixo-vos a crónica desta semana n'O Ribatejo do costume (http://www.oribatejo.pt/).
******
Rapidez em nome de Conceição

Falei com ela e ela disse-me que não, que hoje não, que hoje nunca e que nunca ela será hoje para mim jamais, eu sou Manuel Baptista, ela é Conceição Silva, para ela ela nunca se há-de ver como Conceição Baptista, enquanto eu eu até Manuel Silva, em nome de Conceição, palavra de honra. Está bem que trabalho na sapataria desde que deixei de ser fiel, isto é, de armazém, e ela é uma infiel de outros armazéns, ela é Conceição e eu sou Manuel e isto vamos ser sempre assim, Conceição ela, Manuel eu, baptistérias silvas e silvícolos baptismos à parte. As histórias de amor só são amorosas e históricas se tristes, e isto é uma tristeza para mim, que Manuel sou, não para ela, que é Conceição. Digo-vos isto à pressa por causa da brevidade da vida e por causa da brevidade que os directores de jornais impõem aos cronistas. Estou na sapataria e descalço senhoras, só que nenhuma delas é Conceição, enquanto eu continuo Manuel. Manuel e fiel, não de armazém embora. Até acabo de arrumar à pressa esta caixa de sapatos de pelica cromada a purpurina para que nas mãos, ante vós, me não sobre senão o coração: o coração ante o senão de Conceição. Como ela me foi, me não tendo vindo? Vo-lo digo: cabelo cor-de-trigo, tostadas espáduas de saliente ossatura, peitoril hirto e firme de pura morangura, bacia-baía de arenas promessas e, ainda, esse par de pernas que levitar a fazia, sendo depois Conceição de ter sido Maria.
Não. Não caso com ela, que ela disse-me não, mas eu falei com ela.

1 comment:

aam said...

rapto de maria, conceição e crónica pelo gangue da incom