Thursday, August 16, 2007

Ando a Partir

Foto: © Arno Rafael Minkkinen


Às vezes, uma canção diz-te que podes chorar
– e tu não choras, pois és um homem
desde menina
idade.

À beira do caminho, animais cansados
parecem-se tanto connosco como dois dias
antigos de chuva.

Pássaros marinhos traçam
beleza ao alimento.

Há uma fúria (uma explosão
de açúcares) no entardecer,
quando, por exemplo, a mulher
suspende no pátio a recolha
da roupa seca e admira
a cor (giz, talco, espuma) do jacto
que passou no azul
para sempre.

Ando a partir todos os espelhos
que não tenham alguém dentro.

Caramulo, entardenoitecer de 7 de Agosto de 2007

1 comment:

Paula Raposo said...

Eu também quero partir todos esses espelhos...porque eles não têm ninguém dentro.