Wednesday, July 07, 2010

IDEÁRIO DE COIMBRA - podografias de retorno – 12 (b) - continuação da entrada datada de Coimbra, sexta-feira, 11 de Junho de 2010

Agora, nO Nosso, uma faneca/fulaneca horrorosa que telemove em voz altifalante. Em dois minutos, grunhe catorze vezes é-assim. Subproduto orgânico, estragação de vísceras, faz-me rezar a prece de ter, ela, as trompas laqueadas a requeijão. É das que têm dentes na vulva, dessas que, por tal e tanto, usam mais palitos do que prepúcios. Mulherola insuportável, vazia e ventosa como uma cueca a enxugar no arame. Vota Sócrates quase de certeza. Acha-o sexy quase de certeza. E muito esperto e muito sério. Única qualidade visível: bebe spébóques como um trolha. Se for fufa, coitadas das mulheres. Deve valer tanto a pena levá-la ao castigo como sulcar a língua com uma gilete. Serzinho imbecil, é-assim, é-assim, é-assim, é assim o caralho.

Algumas palavras a usar em vida próxima: calendário – maltês – ranho – lesão – barbas – asseio – galarins – ebuliência – quietude – inquietude – sé – gaita – altura – ábaco – transbordo – colmo – calma – alma – elmo – singradura – angra – unguento – tónico – tropismo – princípio – primaz – construção – poeira – travessa – gladíolo – opúsculo – fístula – versicolor – cetim – axial – malvasia – moela – occipital – nervura – pilim – títere – platense – elucubração – sono.

No comments: