Wednesday, November 21, 2007

MDP CDE 1

Inicio esta noite, aqui mesmo, uma nova série. Eu sei, eu sei: tanta série não pode ser pa' levar a sério. Pois claro que não. Já por aqui anda A Noite em Breve. Já por aqui anda Nenhum dos Rostos. Já por aqui andam as histórias da rádio. E isto para já não falar na versalhada a dar com um pau. Eu sei, eu sei. Pronto, mas esta noite aparece mais uma. Chama-se, por extenso, Mais Descobrimentos Portugueses (Com Direito ao Engano) - ou MDP CDE para os Amigos. Mas não só para os Amigos. Como também por aqui furtivamente andam os Ranhosos, os MDP CDE, de tão apurada e confessa ranhosice, também são para os Ranhosos. Boa noite.
*********
Mais Descobrimentos Portugueses (Com Direito ao Engano)
- ou MDP CDE para os Amigos e não Só –


1

À noite (se a noite for hoje), aquece-se um caldo que se teve congelado dias a fio e a frio na porta de cima daquele coiso branco que rosna e tem asma e a que, por ternura e habituação, chamamos O Frigorífico. Eles estão para isso: O Frigorífico e O Caldo.
Um gajo, a seguir, tem de sair para devir mais um gajo a não seguir.
E porra, que hoje foi noite todo o dia, está um frio tão, por assim dizer, global, que A Natureza, O Mundo e A Sociedade parecem outras tantas modalidades de O Frigorífico.
O que vale – é que se leva O Caldo bem cá dentro, aninhado ao pé de, ou contra, O Coração.

Caramulo, noite de 21 de Novembro de 2007

4 comments:

Anonymous said...

Daqui de Vila Real te digo... Passa por aqui

http://www.epcc.ee/

... e descobre este coral da estónia para também adornar a música do teu programa.... não te vais arrepender!!!!

LM,paris said...

Bonjour!
FRio do caraças...a quem o diz, jà està um pouco melhor, mas nem dava para abrir a boca là fora!
Partiam-se os dentes...
O caldo daniel, a canja...para mim o começo de todos os ronsrons maternos, os domingos quentinhos no colo da mae, e os " cocos" os ovinhos pequeninos que a minha mae partilhava irmamente pelos dois filhos,ela preferia as patas...mas era pra nos deixar pasmados com aquelas bolas amarelinhas de que eu gostava tanto. Pareciam algodao tosco e estranho a desfazer-se na boca!O meu irmao nao dizia nada, eu guardava para o fim...
sou assim, guardo sempre para o fim o bocadinho de suspiro no gelado, o unico morango da salada de frutas...sabe o que isto quer dizer?
Bom, jà começei a ler o que segue do submarino, mas tenho que ir...
li que a cara de bacalhau tinha o alho encostado...
aquelas perolas diarias suas!!!!
Beijos! Lidia
vou dançar jà venho!

sophis said...

Avante, camarada!

Manuel da Mata said...

Eu alinhava numa sopa de feijão encarnado, com couve ripada, um batatinha esmagada com um garfo na colher de pau e uma massinha de cotovelo. Com azeite de Castelo Branco.