Friday, March 18, 2011

Rosário Breve n.º 198 - in O RIBATEJO de 18 de Março de 2011 - www.oribatejo.pt


Epifania

O televisor do salão da Associação Recreativa tem o som desligado, mas o ruído das imagens é colossal: filme das manifestações do passado dia 12. Gerações e gerações de pessoas enrascadas e absortas, mas lúcidas e capazes de dizer “Não!”. Milhares de corpos com almas dentro contra a escumalha imoral em que o nosso País se retrodegradou. Comove-me sem lágrimas, tal epifania. Tenho feito o que e quanto posso para me juntar a tal rio. Uma mulher pode tornar-me feliz, um trabalho pode dignificar-me, um poema pode abrir-me um balcão de sardinheiras ao sol, uma jornada de chuva mansa pode juntar-me o coração ao cérebro. E um País capaz de dizer “Não!” pode tudo. Pode tudo até que lhe digam que sim.
Levanto-me devagar da cadeira, vou à porta espreitar as duas laranjeiras do pátio vizinho, cumprimento e sou cumprimentado por homens em fato de trabalho. Há iscas, panados, bolos de bacalhau, filetes de pescada, torresmos. Há vinho. Há gente. O meu País ainda tem gente.
Retorno ao meu lugar, escrevo-vos com a serenidade possível coisas bonitas e tristes e activas e militantes.
Também direi “Não!” sempre. Nunca vergarei o espinhaço. A um canalha chamarei sempre canalha. E vígaro. E corruptor corrompido. E foco de pus. E gânglio infecto-contagioso. E ferida moral. E canalha outra vez.
E depois dir-te-ei a ti, meu/minha/leitor(a), que sim. Porque és tu quem vale a pena. Tu, filho/a de teus pais e pai/mãe de teus filhos. Tu que trabalhas porque não sabes roubar. Olha, olha, também estou na televisão. Sou uma das vozes ensurdecedoras no ecrã que certos canalhas gostaria de desligar de vez. Sou um dos rostos. Um dos pares de braços. Tu és aquele/a que segue a meu lado. E eu gosto de trocar água contigo: e ideias para amanhã.
Agora, vem daí ter comigo. Estou sentado à mesa que fica ao pé do candeeiro de pé alto.
Há iscas.

3 comments:

fj said...

escrever assim é prestar serviço público!

Anonymous said...

...tirste país em que há imensos lucros para uito poucos e muitos, tantos, vivendo necessidades sem luz ao fundo do túnel.
Consultar o teu blogue é um momento, diário, de prazer.
Que nunca desanimes de escrever justiça.
abraço
albino

daniel.abrunheiro@gmail.com said...

Merci, Albino, beaucoup.