Monday, November 27, 2006

Uma Verificação Alpinista na Noite

Cerra em nosso torno-corpo o inverno suas mandíbulas
não é tarde ainda para vivermos
podem as manhãs ser brandas e frívolas
não é tarde ainda para nascermos.

Perto de casa tenho quatro cedros
demanda a gata os cantos de casa e cedros
a aventura não é para perder
um pouco mais tarde talvez mas não agora ainda.

Um bafo de céu congela a montanha
agreste é esquecer é nunca ter sabido
um bafo de céu congela a montanha
agreste é viver sem nunca ter subido.



Caramulo, noite de 27 de Novembro de 2006

6 comments:

Vénus said...

Amor de Perdição?

daniel abrunheiro said...

Não. É mais A Cidade e as Serras.

Fanette said...

Vida simplificada :)

Paula Raposo said...

Agreste é viver sem saber que se vive...Como sempre excelente tudo aquilo que leio e penso que compreendo. Só isso.

Manuel da Mata said...

Razão tem a gata que nunca cessa a sua aventura. E sobe ao cedro e anda pelos quatro cantos da casa.

Concordo que nunca é tarde para viver, saber e subir.

O adjectivo agreste (como será com a TLEBS?) é, no mínimo, perturbador.Dava-nos pano para mangas!

Anonymous said...

Agreste...
Tens razão.