Wednesday, January 26, 2011

Ideário de Coimbra - 151 (fragmento 4)

O vento da Noite e outras mariquices
concorrem concordes ao que sinto e penso.
Nada disto é mirra ou âmbar de incenso.
Isto são só versos, ligeiras tolices

com que brando o ramo de rosas verbais.
O mais que acontece, são telejornais.

No comments: