Friday, August 30, 2013

Rosário Breve n.º 322 - in O RIBATEJO de 29 de Agosto de 2013 - www.oribatejo.pt

Ficamos a Ermelinda

Aqui na taberna da Ermelinda, o Chico Júlio da oficina de bicicletas acha normal que a versão SG Lights do Salazar, vulgo Passos Coelho, vocifere canivetes contra o Tribunal Constitucional em calção-de-banho. Já o Manel-Zé das peças Volvo, a quem a respectiva São pôs os cornos por distracção, acha normalíssimo que o Estado compre submarinos para nada em vez de helicópteros para o bombeiral. Sempre categórico e raso como é timbre dos idiotas sérios e sem leitura, o Serafim da Genoveva afiança a quem o quer ouvir que o Jorge Jesus está no Sporting não tarda nada. E eu deixo crescer barba, bigode & boina com estrelinha para ao menos fisicamente me parecer com o poster do Che Guevara. Brandindo oleaginosamente a bela cabeça de chicharro frito, o Artur Malacueco, que é reformado da Marinha desde os 42 anos, grunhe que “esta maltosa não quer é trabalhar”. Definitivamente provisório, o Ibraim Chamiça, que foi quem fez aquilo com a São ao Manel-Zé das peças da Volvo, entre outros, não acha nada por causa de tanta gasosa espanhola no vinho-de-cozinha. O Serafim da Genoveva continua a arengar com aquilo de Jesus em Alvalade etc. E eu deixo que as barbas à Che se me encaneçam para ao menos fisicamente me parecer com o poster do Karl Marx. Já o Arnaldo Melão, que tem essa alcunha por a mãe dele ter nascido em Almeirim, jura a pés-juntos que o amarelo-opiáceo do seu indicador dextro se deve à qualidade do ouro que indica, não à impenitência de fumador sem filtro & com décadas. Em irónica maiêutica, o Toni Tira-Linhas alinha na socratização blasfema do casamento gay entre ciganos, só que ninguém percebe o que ele quer dizer, se é que quer. Entrementes, o Caló da Eduarda, que bebe água-das-pedras porque uma vez viu um gajo na televisão a fazer isso, duvida “infectivamente” que “o Cavaco tenha culpas no cartório como querem que ele tenha”. E eu de repente rapo barba & cabelo para ser lustralmente glabro e inocente como o Duarte Lima. Ao meio-dia & picos, a taberna da Ermelinda entristece um bocadito por causa do pessoal ter a mania de ir almoçar à sogra. Ficamos a Ermelinda e eu. Peço-lhe que ponha a televisão naquilo dos programas da vida selvagem só p’ra não ter de assistir à múmia nervosa do Goucha a comover viúvas, mas ela diz que não por causa de “ao menos a TVI ser a única a mostrar que o Tribunal Constitucional está ao serviço da gráfica que faz um balúrdio com os posters do Che Guevara”. É então que eu juro ser desta que deixo de fumar, muito menos SG Lights.

2 comments:

Malena said...

Fuma um charro que isso passa! Ahahahahah!

Muito bom, como sempre! (Tenho que deixar de me repetir)

daniel.abrunheiro@gmail.com said...

Ó menina, tem lume?