05/10/2022

H. EM BUSCA DELFIM - 131 (primeiras sete estrofes)

 

131

 



Por o meio-dia de indeterminado dia,
vi crianças fascinadas por a condução de catrapilos.
Era na minha rua-infante, viver não pesava quilos.
Era nas quatro-estações, um verão-por-dia.

Hoje ainda assisto a tais dúcteis manobras.
Admiro a eficiência dos que trabalham (nas) obras.
O mesmo (in)tento fazer, sim eu, que já por lá andei:
dei serventia a pedreiros &, como oficial, pintei.

Por a mediana tarde de dia duro de caloraça,
rimo as minhas merditas de pouca graça.
Sei mui pouco – e, demais & aliás, quanto sei,
dei às pombas & aos pardais, que mais não aproveitei.

Estou com’outrora senhor meu Pai dizendo:
– Velhotes, trato-os eu por ’inda rapazes.
D’envelhecer bem nem todos são (somos) capazes.
Na velhice minha, meu Pai renascendo.

Cuido de versejar sem mor ofensa
a costumes & a leis consuetudinárias.
Sinto bem mais em eu do que em mim pensa.
Há mais gente do que pessoas (& alimárias).

Sejam, breve, as quatro da tarde? Descuido.
Digam-me por e-mail o e-mal pernicioso?
Eu ando em amargura, mas algo gozo:
ter sido infante que fui, sim fui do

Clube de Futebol União de Coimbra (2.6.1919),
fui (& sou) de minha Mãe & de meu Pai.
Hoje, a estiagem perpétua, nada chove
– & eu ir-me-ei depois daqui sem dar um ai.




6 comentários:

Patrícia Cardoso disse...

Olá Daniel. Espero-te bem, já passou um mês desde a tua última entrada aqui... Desculpa dizer-to, mas escorregou-te o dedo para o "u", em Coimbra. Ora vê lá. Beijinhos e anda daí escrever-nos mais.
PC

Daniel Abrunheiro disse...

Obrigado, Pati. Volto em breve.
D.

Patrícia Cardoso disse...

Olá Danífio!

Como ainda não voltaste e não te imagino a passar os dias sem escrever, temo que estejas a guardar tudo para ti! Não faças isso, homem!!! Bem, na verdade, vim desejar-te um Santo e Feliz Natal! Espero que estejas bem, sinceramente. Um grande beijinho e até breve!

P.S. Não publiques isto, fachabore!

Daniel Abrunheiro disse...

Merci, Patrícia de Insegurança Pública. ;)

O puto da praça disse...

No dia que hoje teci, do melhor que pude ter, à parte do previlégio de contar um dia mais na caminhada, foi saber que pude saber de ti.

Um forte abraço nesse coração, Amigo!

Daniel Abrunheiro disse...

Muuuuuuuiiiiiiiiiiito grato, Puto Amigo.
Feliz 2023!

DA

Canzoada Assaltante